PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Recusei rejuvenescer dez anos em dez minutos

Gisela Rao

01/12/2019 04h00

Então, eu acho que tenho "Síndrome de Alice no País das Maravilhas" porque as pessoas não conseguem me ver do outro lado do "espelho". Vivem me chamando de senhora, e eu gritando "Não sou, não sou! Ô, não tá me vendo?".  Pois é, não me sinto uma senhora aqui do meu lado do "espelho". Continuo acordando saltitante como uma cabrita, dançando zumba tudo errado, deixando a criança interior subir bananeira e vendo como "as pedras são engraçadas quando a gente as tem na mão e olha devagar para elas".

Não, não tenho problemas com o meu envelhecer. Não tenho vergonha de ouvir Mozart na bike da academia, acho engraçado quando a Rafaella Miranda me chama de "Fóssil da Internet", e me atrapalho toda na hora de fazer um stories no Instagram. E, sim, qualquer dia me filmo pelada, sem querer, nessa atrapalhação toda haha.

Veja também

É que as pessoas querem obrigar a gente a se sentir velha, mal passada e, pior, querem que a gente rejuvenesça a qualquer custo. Nessas de a qualquer custo, me puxaram para dentro de um estande num bazar e me ofereceram um creme que me deixaria dez anos mais nova… E  deixou mesmo! Mas, não comprei!!

Me sentiria mal em deletar as rugas. Se eu fizesse isso, me arrependeria, e daria um "control Z". Minhas rugas são parças, meu corpo é mano. Já congelamos juntos na Rússia, à procura da sopa Borscht, e já ensopamos camiseta na África, comprando fruta estranha na feira. A maioria das minhas rugas (e rusgas) é de indignação das coisas tretas da vida, e as outras são de sorrir adoidado –o que chamam sacanamente de bigode chinês.

Não sou velha, ninguém é velha ou velho. Velho é um termo desgastado. Ninguém usa essa palavra para enaltecer e, sim, para depreciar. "Linda sua blusa!" –obrigada, mas é tão velhinha… "Carro velho, lata véia."

Somos todos guerreiros, veteranos sobreviventes nas tristezas, frustrações, desigualdades do mundo, mas também somos seniors nos mistérios do Universo, na gentileza, na compaixão, nas alegrias do "Living la Vida Loca".

Somos foda, não velhos.

Tamo junto?

#EnvelhecerSemPhotoshop

#EnvelhecerSemVergonha

Insta: @giselarao

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre a Autora

Gisela Rao é criadora e criatura de conteúdo, safra 64 – Ano do Dragão. Publicitária e escritora, é “porta-bandeira” dos temas sexo e autoestima, trazendo para a comissão de frente algumas das grandes pedras-no-scarpin femininas. Teve os programetes “Repórter Rao” e “A Monja e Emotiva” (UOL) e foi colaboradora das revistas e jornais: Folha de S.Paulo, Jornal da MTV, Época, Marie Claire, SPFW Journal, Isto É Gente, UMA, VIP, Bons Fluidos, Viagem & Turismo e TOP Destinos. É autora dos livros “Sex Shop”, “Tchau, Nestor” e ‘Não Comi, Não Rezei, mas Me Amei”. Opa! Não desligue ainda, tem mais: foi fundadora do Movimento Vigilantes da AutoEstima e uma das idealizadoras da ONG Estou Refugiado.

Sobre o Blog

A ideia desse blog é trazer um “Ufa!” para os perrengues da “classe” 50+: corpo, preconceitos, paúras, relacionamentos, medo de morrer, sexo... num tom divertido, autobiográfico e gente-como-a-gente. #EnvelhecerSemPhotoshop